pesquise no blog

terça-feira, 23 de novembro de 2010

O Pequeno e a Tenaz

DYLAN - Se eu estou doente?
LAURA - É. Se você sente alguma coisa estranha...
DYLAN - Eu sinto algo estranho.
LAURA - Desde quando?
DYLAN - Desde sempre, eu acho.
LAURA - Me fale sobre o seu dia. O que você fez?
DYLAN - Não fiz nada errado.
LAURA - Não importa. Eu quero saber a ordem, a duração das coisas...
DYLAN - Que coisas?!
LAURA - Que você fez...
DYLAN - Eu não tomei banho ainda.
LAURA - E...
DYLAN - É que eu não saí de casa.
LAURA - E o que mais?
DYLAN - Eu não lavei nenhuma louça...
LAURA - E...
DYLAN - Nem encostei na vassoura.
LAURA - A sua casa está suja?
DYLAN - Não!
LAURA - Então por que você fala tanto em limpeza?
DYLAN - Talvez seja eu.
LAURA - Você o quê?
DYLAN - Eu quem esteja sujo.
LAURA - Isso é uma metáfora?
DYLAN - Não, eu não tomei banho.
LAURA - E...
DYLAN - E o quê? Pára de acrescentar coisa além do ponto final!
LAURA - Me desculpe.
DYLAN - Tudo bem. Não tem nada a ver.
LAURA - O quê?
DYLAN - Tá chato.
LAURA - O quê?
DYLAN - Essa papo entre a gente. Eu não tenho cura...
LAURA - Porque não tem nada de errado com você.
DYLAN - Tem sim.
LAURA - Não tem.
DYLAN - Tem.
LAURA - Você quer ter.
DYLAN - ... Por que você disse isso?
LAURA - É o que eu acho.
DYLAN - Sobre mim?
LAURA - Sobre você, sim, mas sobre várias outras pessoas.
DYLAN - Não me iguale.
LAURA - Não se trata só de você. Nessa fase da sua vida,
DYLAN - Minha vida! Percebe? Não é a vida dos outros.
LAURA - Poderia ser.
DYLAN - Não poderia.
LAURA - Poderia sim.
DYLAN - Não!
LAURA - O que você sabe sobre a vida dos outros para dizer que a sua é tão diferente assim?
DYLAN - ... Por que você fala assim comigo?
LAURA - Assim como?
DYLAN - Sendo... Sincera... Por quê?
LAURA - Você não gosta?
DYLAN - Não. Fico assustado.
LAURA - Com a sua vida?
DYLAN - Com a possibilidade de ter alguém sincero ao meu lado.
LAURA - Que bonito.
DYLAN - O quê?
LAURA - Isso que você disse. Esse medo.
DYLAN - Não tenho medo.
LAURA - Tem sim.
DYLAN - Não tenho.
LAURA - Tem.
DYLAN - E daí?
LAURA - Justamente, acho bonito.
DYLAN - O quê?
LAURA - A possibilidade de ter alguém sensível ao meu lado.
DYLAN - Eu sou sensível.
LAURA - Foi o que eu disse.
DYLAN - E o que quer dizer?
LAURA - Ser sensível?
DYLAN - Ter alguém como eu ao seu lado?
LAURA - Me sugere uma canção desconhecida, que me faz gostar e chorar, ao mesmo tempo.
DYLAN - Isso é ruim.
LAURA - Isso é o que é. Você é doce e cheio de espinhos.
DYLAN - Isso era um elogio?
LAURA - Uma metáfora...
DYLAN - Para dizer que eu sou jóia e às vezes... Espeto... Né?
LAURA - Sim, pode ser assim.
DYLAN - E então?
LAURA - Quer tomar um banho?
DYLAN - Eu não estou fedendo.
LAURA - Eu sei.
DYLAN - Você não quis dizer isso, quis?
LAURA - Eu quis dizer o que disse.
DYLAN - Se eu queria tomar um banho...
LAURA - Isso... Você quer?
DYLAN - Você vem comigo?
LAURA - ... Vou ficar sem graça, mas... Tudo bem, eu vou.
DYLAN - É a sua primeira vez?
LAURA - Num banho, com outro alguém?...
DYLAN - Foi isso que eu disse.
LAURA - É a minha primeira vez.
DYLAN - A minha também.
LAURA - Dizem que a primeira vez a gente nunca esquece.
DYLAN - Esquece sim.
LAURA - Eu já esqueci um monte.
DYLAN - E isso não te preocupa?
LAURA- Não. Me estimula.
DYLAN - Humm... Como assim?
LAURA - Me estimula a nunca deixar de estreiar.
DYLAN - Isso não foi uma metáfora.
LAURA - Não mesmo.
DYLAN - Você vem?
LAURA - Estou aqui.
DYLAN - Vamos?
LAURA - Vamos.

Ela pára, pensativa.
DYLAN - O quê?
LAURA - Posso enxaguar seu cabelo?
DYLAN - Sim.
LAURA - Ok, podemos ir.
DYLAN - Tira a roupa então.
LAURA - Tira você primeiro.
DYLAN - Você está com vergonha?
LAURA - Você também.
DYLAN - Estamos.
LAURA - Sim, naturalmente.
DYLAN - Espera...

Ele liga um aparelho de som que emite uma pequena luz esverdeada e tenaz,


DYLAN - (desligando o interruptor) Agora sim...
LAURA - No escuro é melhor, né?
DYLAN - Não está tão escuro assim...
LAURA - Isso era uma metáfora?
DYLAN - Não. Falava da luz da rádio fm...
LAURA - Ela é verdinha... Cor da esperança...
DYLAN - Sei...
LAURA - O que foi?...
DYLAN - Já estou nu.
LAURA - Eu também.
DYLAN - Ui...
LAURA - Que foi?
DYLAN - Deu aquele arrepio...
LAURA - É. É bom, né?
DYLAN - É. Loucura.
LAURA - Pois é...
DYLAN - Os loucos devem ser felizes...
LAURA - Agora fica quieto.
DYLAN - Por que você disse isso?
LAURA - A água... Ela já faz barulho demais. Vamos escutar...

Entram sob a água que escorre morna e alivia essa noite de calor.

2 comentários:

Natássia Vello disse...

Que bonito Di!!
Lembrei de mim também...

Dominique Arantes disse...

Gosto das sinceridades.

Te amo

Postar um comentário