pesquise no blog

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

Inveja

Não se fala de justiça

Aquilo que sentes
te oprime e vandaliza

Cruzas as ruas
de peito tomado

Passeias o olhar
escavando o adversário

És todo ódio
Estás morrendo de inveja

E então tu te calas
para avaliar o tamanho do câncer
que em ti tu fazes nascer

Ele não é imenso
nem pegajoso
O pior
teu câncer tem consciência
e te faz perder o jogo

Tu miras outra vez o alvo
e o que resta para hoje
não é mais inveja
é indiferença profunda
e consternada.

E sua ira então te corrige:
não é indiferença o que sentes
mas sim plena certeza
que a vingança
não é coisa que compete a ti
Mas ao destino dos deuses.

Nenhum comentário:

Postar um comentário