pesquise no blog

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Meus sonhos

Meus sonhos
Perderam-se.
Onde
que não os vejo
que já não sei lhes dar
nome
ou roupa
Capaz de sobreviver
ao vento
Destes tempos?

Meus sonhos
feito uvas
Verdes
se empalideceram.
Perderam tônus
perderam o tango
que tanto
os tramava,
meus sonhos
desaqueceram-se.

Como
se estive aqui
Dia e noite
a usar o corpo
a suar o mote
pretexto-encontro
O corpo?

Meus sonhos
partiram na tentativa minha
de não os deixar distantes
Eles se foram.

De que vale
a insistência
se do outro lado
sonhamos tudo
menos
o outro?

Nenhum comentário:

Postar um comentário