pesquise no blog

segunda-feira, 16 de março de 2009

Desejo

Lapso.

Um tempo corrido sem a consciência do corpo.

O que deixamos realmente correr sem a nossa consciência?

Lapso. Uma falta. Um absurdo dentro da normalidade dos dias.

Desde então o tempo parece mais tempo, cada ponteiro demarca
a próxima agonia.

Agora, sinceramente, espero
Feito filho pelo abraço da mãe

Eu espero,

pela reinvindicação de seus sistemas
pela extrapolação das minhas vontades

Faça em mim, mãe
A necessidade pedir pelo cuidado.

Quero ser cuidado.

Quero ser cuidado.

Não há outro desejo mais tangível à pele do que este,
o de ser cuidado

Nenhum comentário:

Postar um comentário