pesquise no blog

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Esgoto

Acordo
É madrugada
Quase manhã
A água esquentou
Estou suando
E nem penso
Em sexo

Ergo-me
Ao banheiro
À água gelada
Chove?
Acho que chove
Lá fora
E meu corpo
Goteja
Sem reclamar
De nada

Conforto
Poder estar só comigo
Aconchego
Saber que o tempo
A partir de agora
Será meu amante
Mais amigo

Penso num cigarro
E o acendo
Sem medo
É que já estou tão tomado
Que só mais um
Só mais outro
Não me vencerá

Quanta mais eu vou
Mais fundo eu chego
Menos deslumbrado
Mais consciente
Mais fundo
Menos rouco

Eis o meu instante
Minha vida
Meu jogo
Eis meu verso que redunda
Que me desfaz
Para não cessar nunca
O início de outro
De outra
Abruptos destinos
Lá fora
Chove, eu acho

Aqui dentro
É certo
Eu vivo
Porque morro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário