pesquise no blog

terça-feira, 24 de novembro de 2015

Bel

Ei, Bel
Descanse.

Você já já partirá
E para sempre em mim
A vontade de um último abraço
Que jamais virá.

Sabe?
Te sei tão pouco
E mesmo assim,
Você, luz linda, brilha
Presente mesmo
Sem ti,

Quero chorar o horror do mundo
A incongruência de estar vivo
Bel querida, indo você
Saiba
Sobra o seu sorriso.

Um dia você apareceu
No outro éramos já um pouco conhecidos
Depois um papo quente.
Um punhado de sorrisos
E sérias falas,

O que terá sido? Para ter que te
Arrancar assim tão abruptamente?

Bel,
Descanse.
Vai embora
Sorrir no longe
E irradiar
Em céu constante

Poesia.

Para Bel Garcia

Nenhum comentário:

Postar um comentário