pesquise no blog

sábado, 7 de novembro de 2015

convicção

os dias seguiram
pouca música tocou naqueles ouvidos
os olhos, apesar de pesados, seguiram
e o íntimo de tão confuso
virou confusão plena
bela de se ver

a persistência no erro
seria erro?
a persistência crua
persistência
sem adjetivo
ela sobreviveu
ela própria
e o corpo por ela
vampirizado

é tarde ontem
hoje ainda nem veio
fumaça
fumaça
amigo abrigo

aquela voltagem
que refaz o instante
arrepia minha espinha
enrijece meus pelos

meu pau
meu pênis
meu cu
eu inteiro
tudo
tudo está tomado
tudo
tudo
é isso apenas

pesar sem onda
cerveja gelada
e a certeza de uma viagem com destino ao mais longe que meus dinheiros puderem pagar

sumir de mim
dormir noutro habitat
nem abraço
nem fingimento de que sou alguém

apenas a beleza
no lugar da certeza
a beleza que é ser
sem precisar ser
para continuar
a estar

resto.
convicto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário