pesquise no blog

terça-feira, 16 de junho de 2015

Nascem pelos dentro do nariz

E passado já algum tempo
Observo
Que querem os pelos
Que o crescimento
Não cessam?

Querem dizer alguma coisa.

Aonde está você?

Voltou da Itália?

Era na Itália, não era?

Cresceram mais pelos
Dentro de mim
Saem pelo nariz
Estou te ouvindo

Foi bom te rever hoje.

Só não entendi aquela parte

Perdão
Acabei não perguntando

Como era mesmo?

Aquilo que você me disse?

Eu me esqueci

Mas foi
Ouvi
Você disse
Esqueci

E, no entanto,
coloquei o polegar e o indicador
Dentro do nariz

E lá de dentro

Trouxe um pelo imenso.

Ele morreu
Em minha mão
Foi no vento

E cheguei em casa
Ainda a tempo

De lavar suas mãos.

Que gesto lindo é esse de lavar a mão do outro.

Quisera eu ficasse no gesto
E não nesse sonho.

Chegará o dia
Em que surfarei na depressão
Das rugas
No inflamar
Das espinhas.

Ele me disse.
Ela repetiu.
Como era mesmo?

Sumiu.
De mim
Sumiu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário