pesquise no blog

domingo, 25 de janeiro de 2015

Mensagem deste Blog para o seu Autor

Caro Senhor Liberano,

O senhor viu quantas pessoas morreram na Nigéria? Sabe onde é Nigéria?

O senhor viu a dança macabra da bolsa de valores? Viu? Seja sincero! Não adianta comprar o jornal de domingo se você for apenas ler o segundo caderno.

Viu, senhor Liberano, quanta vida anda morrendo?
Viu quanta criança mal nasce e está já doendo?
De fome?
De frio?
O senhor viu alguma dessas coisas acontecendo?

Pergunta retórica, esta, a minha.

Pergunto e sei que não responderás.
Pergunto porque sei que aqui você não está.

Faz duas semanas você me usa para o seu livre prazer
de doer e ser doído.

Eventualmente, é verdade, não quero ser Blog Injusto,
eventualmente você escreve alguma coisa
que me reconecta ao mundo.

Mas preciso alertar! Reclamar! Acusar, não sei,
eu preciso lhe dizer:
esse negócio de remoer o amor terminado
Esse negócio não vai acabar só contigo
mas também comigo
Pode crer.

Entendeu?

Quer que desenhe?

Aqui tudo é em palavras
às vezes uma foto
da internet roubada
Mas palavra
é tudo o que você me disponibilizou
para em mim se dizer.

Nunca antes
eu, seu Blog,
havia me autoescrito
para algo lhe dizer

Mas se faz preciso:

vá!
corra!
olhe a caixa de entrada
olhe para o seu pau murcho
e trate de fazê-lo renascer

Compre
compre
gaste o que tem e não tem
Mas se distraia da vida
(pelo menos pelos próximos meses)
e então
Eu Te Imploro!
Me livre de ser área de lazer
para o seu sofrer!

Não acredito nele
Ele só escreve poesia barata
Você amava o cara
já coloquei no passado
Você amava
mas e agora?
E agora que o cara fodeu contigo
sem nem te foder?

Você sobreviverá

Dar-te-ei alguns créditos

Algumas tentativas para errar
e se refazer

Mas eu confesso

Vem chegando o mês de fevereiro
e nele
Aqui
Neste Blog - eu - enfim,
em fevereiro
Eu quero que você seja outro você.

Sem mimimi
Sem choradeira
Sem autopiedade

Eu quero a sua vida inteira
disponível ao que ainda agora
você teima em desconhecer.

O mundo te chama
e cadê você?

Comendo azeitonas e chorando
o que já morreu?!

Não pode!
Não deveria poder!

Ande
Aprume-se
Erga-se
Eu quero te ver
rosto no Blog
a escrever
Vida
e não apenas
o que a vida não foi capaz
de ser.

Maldiga
Abuse do maldizer
"Ele nem era tudo isso"
"Ele nem me merecia"
"Ele era isso
e aquilo" (Não ousarei ofendê-lo para te aliviar
de você),

Mas salte
pule fora
A vida tá lá fora
te chamando
e Você nem vê.

Estás melhor?

Essa é só uma mensagem.

Se a coisa em ti piorar,
prepare-se
Você vai ter que comigo
se ver!

E farei o seu retrato
descreverei suas torturas
Hei de desmarcar sua falsa
loucura
E, por fim, farei tu compreenderes que:

Estás sozinho
(apesar de estar comigo)
E assim será
até que você me mate
como seu ex-marido
Matou você:

abandonando-me
como seu eu nada
tivesse sido
para você.

Do seu,
Blog.

Nenhum comentário:

Postar um comentário