pesquise no blog

quarta-feira, 27 de maio de 2009

transitar meio remendo

mas o desejo da inércia me move
como fazer como durar?

um silêncio antigo
de anos talvez de anos
perpassa novamente este corpo
nesse segundo eu sou de novo seu
eu em abandono sou eu
menos moço, porém

mais tempo
mais osso
eu não sou diferente de ti
não tanto quanto pudesse supor
continuamos nesta amizade
jorrando vida jorrando amor

eu sinto, eu sei
nada pode ser como foi noutra vez
mas eu sinto e nisso sei
somos nós dois um destino possível
e nele sua incongruência mor

somos capazes de voar
e de ser pó

desenhamos o ar
a terra
e nisso o tempo
de um transitar pleno
entre os espaços
transitar é meio remendo
que vai movendo
juntando
colhendo
em si mesmo
em seu caminhar
as duas metades da laranja

a podre
a plena
e nisso,
completa-se o mundo
é em si mesmo
toda boa e ruim incongruência

mais uma vez

eu aqui hoje para você
talvez não tenha o que dizer
talvez não deva te dizer
talvez você daí onde estiver
possa vir fazer compreender
pelo vento

pelo vento
venha vento
venha firme
venha inteira

e jorre sobre mim
o seu calor
ainda pleno
ainda em tempo
de me fazer perceber
que o mundo se mostra menos muito menos
do que possa realmente
vir-a-ser.

estou aqui.

estou aqui.

porque não haveríamos de nos perceber?

venta firme hoje.
venta que eu saberei firme ser você.
.

Um comentário:

Anônimo disse...

Querido minininho , amadíssimo.
Sabe o que penso quando leio suas árvores, e este especialmente do dia 27/05, é sobre ou para ELA que ele escreve. E me faz bem.
Sabe o que encontrei na semana passada nas coisas dela? O CD do cavalinho azul, quase morri. Não consegui ouvir. TE AMO, TE AMO, TE AMO. Dia 20 foi niver do Thales e eu estive aí, vou criar forças para vê-lo. Quero muito te ouvir. BEIJOS.

Postar um comentário