pesquise no blog

sábado, 4 de abril de 2009

piora poesia o pior

não fala nada
deixa tudo,
assim,
por mim eu não me importo
se não não somos, bem
assim

é tudo real
nem só metonímias
e assim não me faz mal não
e assim não,
me faz,
mal não

noite e dias se completam
o nosso amor em ódio,
é terno

eu te imagino
eu te processo
eu faço a cena que eu quiser

eu visto a roupa pra você
minha maior ficção,
o amor

e eu te recriei
só, pro meu sofrer
só pro meu prazer

eu quero você, como eu quero

só, pro meu prazer
eu quero, você como eu
quero

...

.

Nenhum comentário:

Postar um comentário