pesquise no blog

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Cemitério

De versos nascidos sem pai nem mãe sem princípio nem fim, reverberam ainda mais e mais outros a cada noite a cada dia aqui em mim, sem ir nem vir a você que tanto espero, enfim... Seguem então os nossos destinos mal-traçados, voam todos em ficção duvidosa caminhando sobre fiação perigosa, posto seja capaz de segurar e torcer. Eu listei, eu listei por você, os melhores versos os que diziam mais em menos os que menos disseram, expresso apenas o desespero o destempero em verbos, deixo resvalar enclausurados no bloco de rascunhos, mas por ti, voltam a ti a quem foram originalmente destinados. Receba-os bem são eles a nosso única forma hoje de abraço. E se não quiseres. Nem digo mas se não quiseres. Não. E. E se não quiseres, não posso me privar desta realidade desta fatia que me digere a cada dia, pois e se não quiseres segue adiante segue sorrindo pois logo ali eu sei que vais tombar, como eu agora assim vou indo tombando sem ti tombando por ser menino e acreditar tanto em comunhão encontro amor essas coisas que infelizmente têm nome. Sim. Então você ali na esquina por sobre outro ser que tenha os olhos tristes como estes que você classificou em mim vais tombar. Eu queria tanto te perguntar, se lembra naquele dia, você me via quando me olhou ou lia em meus olhos o que estampado em você estava? Eu não queria ter olhos tristes. Não foi isso o que você me deu. Você me deu alegria. Não tinha porque você dizer que meus olhos eram tristes, porque eles só seus. Só. Eu listei, por você, os melhores versos escolha o que quiser e faça deles, de um deles apenas, faça tatuagem. No peito, alvo deste abraço enfraquecido. Vai, segue a lista dos fetos morridos. Dos fetos hoje destemidos que aqui se mostram sem medo, só putrefação. Mostram as caras na esperança de terem recebido sua mão. E não. Pois estão mortos. Nos conhecemos no outono. Se lembra? Foi justamente quando as coisas começam a morrer que a gente resolveu inventar isso entre a gente. Segue a lista...

"Estou soterrado pelo meu corpo
Soterrado pelos desejos
carrego todos inda dentro
resvalo sóbrio por ti."

"Amanheci deserto
sinto que preciso voltar a dormir
a realidade me condena todo
em suas pequenas coisas


O peito aberto, eu diria
o peito..."


"
pele carimba suor
pele carimba tinta
pele carimba beijo
pele carimba sina


Mas tudo errado!


Não era nada disso
não foi provocação


Foi apenas recreio de palavras
para suprir a falta de recreio
sob o nosso edredon."

"
Quando eu aqui começo a resvalar
me perdendo entre palavras
justamente tentando
algo encontrar


Bom, eu devo talvez lhes dizer
Que nem sempre estou perdido
por vezes mesmo
o que eu quero... Como dizer?


É como se as palavras fugissem e me deixassem só
com você."

"Eu pulo por sobre teu corpo. Que imensidão esta a que me apraz. A que me puxa. A que me faz. Dou-lhe nomes, invento rimas. Em você nenhum dizer meu se perde. Tudo meu em ti se eterniza. És meu tempo, és meu espaço. O meu amor pelo mundo em você eu testo e refaço."

Viste? Fiz tudo meio por você. Sei que não há nada por certo genial. É porque a genialidade não vem sozinha. Vem com a manhã abraçada. Vem com o café-conjugado. A genialidade vem quando o ser se sente uma fração que seja completado. E estar completo, mon amour, só será diante de ti ou da cova. Sem dramas. Sem poesia. Sou todo sinceridade. O tempo está passando. Quando vamos acabar com essa relação colegial-faculdade?

E se não quiseres - com esta relação colegial-faculdade acabar - vai! Usa um destes versos e escreve uma auto-ajuda para pedir ajuda a quem lhe possa ajudar. Escreve um livro de poesias, coloca para rodar. Usa um verso e faz um filme. Usa dois para uma música inventar. Junte todos e comprove a rima. A rima, às vezes, é sina tipo a que se faz à pele. Sina incapaz de despregar. Sina que quando repetitiva é capaz de enlouquecer. É capaz de ficar.
 

Um comentário:

TUA FILHA GOSTA~ disse...

--------eis os que eu escolhi pq mais gostei:

#pele carimba suor \ pele carimba tinta \ pele carimba beijo \ pele carimba sina \ Mas tudo errado! \ Não era nada disso \ não foi provocação \ Foi apenas recreio de palavras \
para suprir a falta de recreio \ sob o nosso edredon."


# E se não quiseres - com esta relação colegial-faculdade acabar - vai! Usa um destes versos e escreve uma auto-ajuda para pedir ajuda a quem lhe possa ajudar. Escreve um livro de poesias, coloca para rodar. Usa um verso e faz um filme. Usa dois para uma música inventar. Junte todos e comprove a rima. A rima, às vezes, é sina tipo a que se faz à pele. Sina incapaz de despregar. Sina que quando repetitiva é capaz de enlouquecer. É capaz de ficar.


beijo, querido~

Postar um comentário