pesquise no blog

domingo, 17 de outubro de 2010

Peso

Penso
sobre as partes em separado
sobre o arranjo assim costurado
pela força
pelo jeito
pelo qual você se aglutina a mim
a fim de fazer recreio.

Penso
(é tudo passageiro)
como se acomodam os sonhos
como se amenizam os medos
quando
tenho você sobre mim
(sempre passageiro)
você sobre mim
esmagando minhas vagas
soterrando desesperos.

Penso.
Eu peço
Teu peso.

E fico nisso inerte
aguardando ser terreno
aguardando seus volteios
para recompor sobre mim
a sua forma de ser presente
(ainda que também assim
passageiro).

Penso, peso, fico, vago
Fora isso não sou nada
Sou ser todo comprimido
Espero impaciente o destino
das gramas
dos quilos
o selo encontro dos mamilos,

Eu peso, logo, existo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário