pesquise no blog

terça-feira, 26 de agosto de 2008

Por que eu me morreria se você fosse?

Eu preciso ter a sua atenção, preciso saber que você sabe de mim, que eu existo. Preciso, mesmo sem saber, sentir que você está pensando em mim. Pensar que apesar de eu não estar com você – existe um pensar mútuo que me conecta a você. E mesmo que você não pense em mim, eu não vou saber, por isso sempre acho que estás a pensar em mim. Eu quero te impressionar, quero que você me deseje e me ache alguém interessante. Não quero ser lido já no primeiro instante. Não quero não ter mistérios. Quero ser feito rosa e nascer para você todo embrulhado. Quero ter que ser descoberto, desvelado, mas isso tudo é com cuidado. Ainda há os espinhos pelo meu corpo, eu devo dizer. Por isso me toque com cuidado, com cuidado, mas não deixe chegar o amanhecer. Pois eu morro pelo tempo e se você muito demorar, talvez, somente sobre os espinhos poderá se deitar. Será pelos espinhos sangrando tuas mãos que escreveremos juntos a nossa primeira canção de amor. Por isso eu me morreria, caso você fosse embora e só deixasse para trás – além de mim – a certeza de que eu não existo para você.

Eu me morreria caso ficasse sozinho e só tivesse o vazio para amar. Me morreria se vagasse perdido sem poder te encontrar. E já não há porta, nem parede que baste a mim. Não importa o copo nem o prato. O vazio vaza pelo meu peito e consome o ar ao meu redor. E para chegar até você eu preciso guardar esconder consumir e afastar esse vazio. Mas se eu o empurro para longe percebo que você assim tão mais distante também se vai. E o caminho entre nós é sempre mais longo, sempre é maior do que gostaríamos que fosse. Nunca estaremos nós na mesma estrada?

Desaprendemos uma forma de amar, desaprendemos ou não tivemos os modos do se relacionar. E se isso já nasceu morto, como posso então eu chegar à você? Como pode você se aproximar de mim, se não entende como se pisa no chão desse mundo em movimento? Acho que somente encontraremos um ao outro se nos permitirmos o contato pelo toque, pelo choque, pelo atrito soco e corte. O nosso amor será todo feito na morte. Por não sabermos amar, faremos no próprio corpo a lapidação do nosso amor inventado.

[trecho de “ao vento”, de minha autoria. cena “nicest thing”, a partir da música homônima de kate nash]

E aproxima-se destemida, enquanto ele nos olhos preenche-se de agonia. Essa agonia do primeiro encontro, quando quebramos todos os muros e voamos juntos por um longe e breve segundo, ele tenta dizer,

TUDO O QUE EU SEI É QUE VOCÊ É A COISA MAIS LEGAL DE SE VER. EU GOSTARIA QUE A GENTE PUDESSE SE DAR UMA CHANCE. PARA VER SE A GENTE PODE DAR EM ALGUMA COISA... EU GOSTARIA DE SER O SEU CARA FAVORITO. GOSTARIA QUE VOCÊ PENSASSE QUE EU SOU A RAZÃO DE VOCÊ ESTAR NO MUNDO. EU GOSTARIA QUE MEU SORRISO FOSSE O SEU PREDILETO E QUE MEU JEITO DE SE VESTIR FOSSE O SEU ESTILO FAVORITO. QUE VOCÊ NÃO SE ESQUECESSE DE MIM E QUE SEMPRE QUISESSE SABER ONDE EU ESTOU E O QUE ANDO A FAZER. GOSTARIA QUE VOCÊ SEGURASSE A MINHA MÃO QUANDO EU ESTIVESSE TRISTE. E, PRINCIPALMENTE, QUE NUNCA SE ESQUECESSE DE COMO EU ESTOU AGORA, QUANDO NOS CONHECEMOS DE VERDADE. GOSTARIA QUE VOCÊ ME AMASSE SIMPLESMENTE, SEM SE IMPORTAR SE TEM ALGUÉM A NOS OLHAR. BASICAMENTE, EU GOSTARIA QUE VOCÊ ME AMASSE. É ISSO! E QUE TAMBÉM PRECISASSE DE MIM. QUE SOUBESSE QUE QUANDO EU PEÇO DUAS COLHERES DE AÇÚCAR, NA VERDADE EU QUERO DIZER TRÊS.

Ele então silencia sem ar. Naturalmente, ela ergue uma mão e fecha os olhos do jovem amante. Aproxima seu rosto ao dele, mas num segundo se detém, pois ele irrompe a se dizer no eternamente,

EU GOSTARIA QUE SEM MIM O SEU CORAÇÃO QUEBRASSE. E QUE SEM MIM, VOCÊ PASSASSE O RESTO DAS SUAS NOITES ACORDADA. EU GOSTARIA QUE SEM MIM, VOCÊ NÃO CONSEGUISSE COMER...

E assustando-se com todo esse amar, ela ruma ao chão e por sobre o vaso entre os dois deposita a flor de seus cabelos. Nisso, ele esperando o amor nela fazer brotar, derrama por sobre ela todo o seu declamar,

EU GOSTARIA QUE A ÚLTIMA COISA QUE VOCÊ PENSASSE ANTES DE DORMIR FOSSE EM MIM. VOCÊ ENTENDE QUE É A COISA MAIS IMPORTANTE? E EU REALMENTE GOSTARIA QUE A GENTE SE DESSE UMA CHANCE PARA SEGUIR. PARA VER SE A GENTE PODE DAR EM ALGUMA COISA...

2 comentários:

Espaço Feliz disse...

Amei!!!
Tanto desejo...e a vontade de uma chance.
Será que existe algo que nasce inventado por completo; e se existe, será que só lhe resta desfazer-se?
Tudo de desejo pode se tornar uma grande espera...fogo comprimido, num espaço tão escondido, como o corpo. Tão delicado e tão explodido. Tão massacrado e tão bonito.
Bonito, porque até o água saída dos poros pra ser suor ou lágrima, nutre a pele machucada, mas seca, esperando por recomeçar...
Recomeçar uma nova luta.
E o amor, não é um grande motivo de luta?
Chance?Desejo?
Tudo parece preso dentro de um baú, que só poucos tem acesso, como a esperança, que fica no fundo.E fica.
No fundo. Tudo tem muito disso, ficar no fundo. Esquecer um dia.
Mas ficar no fundo.
E retornar nas lembranças.
Lembranças,que só você tem acesso.
Amei o texto di...amei mto.
Adorei passar aqui.
Beijokassss meu menino

Anônimo disse...

nossa, que bonito.

Postar um comentário