pesquise no blog

sábado, 21 de maio de 2016

O que apreendi agora que algo está morrendo

Que sim,
o perdão por vezes
é destinado a um si mesmo.
Foi isso o que me veio
quando te vi
no gesto alheio.
Que força é essa que faço
que mais do que te tirar de mim
me assassina?
Eu não teria jeito
não houvesse em mim
E ainda
esta consciência
essa confusão que não descansa
enquanto não encontro
A rima.
A sina.
A vida
tudo isto
é jogo que não acaba
As mortes
não findam
O amor
se reconstrói
até mesmo onde não se esperaria
nada
exceto este orgulho
bobo
de menino imberbe
Eu não sou isso
Meu sol
não mora aqui
neste planeta escuro
que forjei
para me proteger
das minhas franquezas,

Nenhum comentário:

Postar um comentário