pesquise no blog

terça-feira, 13 de outubro de 2015

Perversa Engenharia

Se se escreve só quando falta?
Ora, se escreve também
por tanto ter
por tanto sentir
por tanto sofrer
Ora, se escreve tendo
e para não ter
Para testar isso
e aquilo outro
De ruir, morrer
Apodrecer.

Com ou sem flores
Se escreve mesmo
assim
Mesmo que de nós dois
só eu goste da gente
e um dos dois
goste mais ou menos
De mim.

Mentira deslavada
essa
de que só se escreve
quando dói.

Outro dia
me vi escrevendo
sobre a proeza
dos girassóis.

E só de escrevê-los
eu os vi.

Estão ainda aqui
no verso, retidos
Se escreve também tendo
não havendo
indo ou no desiludir
na deixa ou no desir
Escreve-se sim
no não
e não se escreve apenas no sim,

nunca
havia percebido
a engenharia
desta perversa loucura, oh, poesia

Se escreve tal como operam em meu corpo
as enzimas
Por antecipação
ou por atraso
Se escreve o coração
antes do soluço
do truncamento da aorta
Se escreve, coração

Quer você consiga
ou quer você não possa
Se escreve

Se escreve


Se escreve sim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário