pesquise no blog

sábado, 3 de outubro de 2015

Lavínia

Apaga e escreve no quadro branco
Disse-me que fará um rosto de uma moça
Chorando. Desenha corações pretos
e arco-íris bem coloridos
E com mais de sete cores

Lavínia está deitada no chão do meu quarto
enquanto eu trabalho com sentido
Ela brinca com formas e cores

Eu não sei de nada
Bebo álcool fumo cigarros
Ela se esparrama pelo chão
e mostra, explícita
A potência de um corpo dobrável.

Lavínia tem sete anos
Eu tenho vinte a mais
Vinte anos é um grande tempo
Modelo qualquer miragem
O que hoje eu sei
Lá atrás não saberia

E o mais lindo é assim
Lavínia guarda um punhado de mundos
E eu
aqui neste agora
Tramo só
Estratégias para vingar
Mundos meus
que não vieram.

Nenhum comentário:

Postar um comentário