pesquise no blog

sábado, 17 de outubro de 2015

Não me olhe, por favor

Que eu tendo a fazer cabana
No seu olhar.
Não mire meu cansaço
Que eu posso em ti
Me deitar.
Por favor, eu peço,
Hoje ao menos
Não me olhe
Não me olhe

Sabe?
Minha vista está cansada
E qualquer pista de aconchego
Ela desaba
Sobre a rua
Sobre a droga
Sobre a virtude de seu corpo desconhecido
Não me olhe, eu te peço
Não vai ser legal o que tenho
A fazer contigo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário