pesquise no blog

segunda-feira, 30 de julho de 2012

Que triste a sua história.

Um dia alguém poderá até me dizer.

O amargor do não vivido

Se converte em estrela sem tradução

Previsível.

A rua chama o carro

As linhas medem os ritos

Eu não sei

Por vezes

O segundo quer calor

E vira filme.

Eu queria

Voltar a você

Encostar no abraço

E me esquecer.

Eu queria em ti,
me esquecer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário