pesquise no blog

segunda-feira, 23 de julho de 2012

Bétula

Olho o sol
Hoje
Não como antes
Cruzo a vista ao todo visível
E ele me atravessa
Me agiganta
E embriaga.

Que força escorre em sübito olhar
Que traço invisível
E torto
Rodeia o instante preciso no qual o corpo reluz seu repentino arrepio

Fico
Ali eu fico
Num movimento
Preso e querido
Eu fico

Pois o céu fica acima da cegueira
E tem pele textura de planta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário