pesquise no blog

terça-feira, 29 de março de 2011

Você pode me dizer

Se tudo isso que eu estou tramando te ofende ou mesmo machuca.
Você pode me dizer, eu te peço, se isso te faz parecer menor
ou se dói mais o jeito como enfim foi sua partida.

Eu talvez só agora esteja percebendo que tudo é por ti
Eu talvez só agora – já no meio do processo – esteja percebendo que é só da minha dor que eu tô falando
que é só da sua falta
que é só por você.

Você então fica tranquila
pode puxar meu pé
puxa os dois
Vem, eu te peço, invade o meu quarto e destrói minha paz:

ela hoje é de mentira
desde quando você se foi ela é de mentirinha
é só para enganar o íntimo e cansar os olhos
que então clamam pelo sono para tramarem integridade.

Escuta!

Você vem nesse meio de madrugada e fala comigo.
Eu tô precisando me abrir contigo
Eu tô precisando saber se se purga alguma dor eterna fazendo poesia disso
Eu tô precisando desafogar meu peito mas é só com você que eu consigo
Porque você é ainda hoje o que pausa a minha respiração e me dá fobia
Você gangrena o dia

e me prova ser o dia menos e mais do que foi estabelecido.

Eu te amo.

É só isso.

Vem, tá fazendo falta,
vem nem que seja para brigar comigo.

Eu talvez esteja fazendo tudo errado para ter motivo para puxão de orelha.

Vem, Kekes
faz algo de mal comigo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário