pesquise no blog

sábado, 19 de março de 2011

E X A T O

Disponho-me aqui inteiro
para não cessar esta capacidade
de se organizar sempre de outra forma
De outro jeito.

Deito-me sem receio
e faço do não-saber meu principal recreio
minha fome ânsia e devaneio.

O que sou de mim perdido aqui aglutina.
O que grito calo ou falo
aqui, meus caros
reverbera-se em rimas sem fim
eu me vejo naqui refletido
e com tempo processo o meu tempo

Eu sou mais do que sou quando assim
versado em ousadias
rodeado de metáforas
ausentes no chão sujo desta cozinha.

Mas,
disponho-me aqui inteiro
para não perder o costume
de se ver sempre indo e passageiro
sempre rindo a escuridão
e desautorizando o jeito de se portar
e a hora de se deitar.

Eu paro.
Meu corpo range profundo.
O que pode haver dentro de mim querendo me fazer dar um grito?

Não pode ser um dragão.
Me calo e dormirei – hoje

Exaltado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário