pesquise no blog

domingo, 26 de outubro de 2008

Uma composição da decomposição

_____________________________________________________________ 19/04/05

Pela fenda
O ar entra em minha cela.
Pela fresta
O sol queima minha perna.
Pelo canto
Minha vida se desfaz em pranto.

No entanto,
Nada disso é apropriado,
Se não se pode tirar do banho
O poeta. O escravo do próprio
Sonho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário