pesquise no blog

domingo, 5 de outubro de 2008

09:12 ...

Eu perdi o ônibus das 08h.

Qual é o próximo?

Meio dia. Meio dia? Meio dia.

Inferno. Enfermo. Persisto. Reintero o meu cansaço.

Ar condicionado. Mundo poluído. Tudo assim bem errado.

Amy no meu ouvido evitando um colapso.

A água pelo menos é gelada,

mas o sono é algo assim bem arbitrário.

Temo dormir sem perceber,

Temo sumir sem me entender e deixar dúvidas.



Neste momento

Eu recomeço tudo de novo.

Eu estou me auto analisando.

Eu quero atuar. Ser ator.

Eu quero esquecer as referências e intuir,

e into, ir.

Sabe?

Neste momento
tudo está de certa forma ameno
as dores eu esqueço e quando lembro
vem você no pensamento

E se você demora a tomar forma no meu imaginar
é porque o corpo precisa da sua dose do mutilar
o corpo precisa sofrer e doer um pouco
é difícil depois de tudo isso que aconteceu
não doer

Dor é sinal de existência
E muita dor,
é capacidade de reexistir.


Remix

Gente, se eu puder, vou ficar escrevendo até a hora do meu ônibus. Ou seja, são 09:17 e ele só parte às 12h.

Bom, eu avisei. Aliás, sequer pedi. Estou escrevendo porque preciso, porque quero, porque existem coisas que menosprezo. Porque minha rima é drogada e rima tudo o que puder com escada, para ascender, para ir rimando sem fim até morrer.

Mas quem disse que rima tem medo da morte.

Rima rima porque sabe seu destino
Sabe que sabendo do seu rumo
não importa fugir ou correr
porque é no intestino que todas as rimas
deverão morrer.


Sinkin'

Nesta madrugada, nós dois ficamos acessos. Tendo acessos e comunhão. Eu te amo. De coração. Você é tão diferente de mim. Eu sei, é só um comentário. Dizer que você é diferente (de mim) não pressupõe que existe dificuldade do nosso entender, não quer dizer que isso afasta ou cola, quer dizer apenas, que a sua diferença sou eu quem nota.



09:21

Eu tô pensando em você.
Fui tão atirado
eu tô virando uma coisa que sequer posso prever
é algo que ordena e que eu direto
faço sem pestanejar

Se me disserem
Diogo, vai e fura o manjar

Eu irei e ainda assumirei o homicídio

Nada é mais minha cara no momento do que ser dono do destino
que eu sequer sei qual escolhi para mim.


Pálpebras

Eu fico pensando porque às vezes me pego tão descontente com o que escrevo. Não é descontamento, agora eu vejo, é querer outra forma. É querer outra temperatura. Como seria se eu estivesse guardado no lado de sua cama, jogado dentro da bolsa dela, perdido entre a poeira da prateleira. Você já se perguntou, se eu estivesse andando junto com a sua agenda?

Queria ser uma brochura.


09:28
O olho está pesando louco.

te vejo errando e isso não é pecado
exceto quando faz outra pessoa sangrar
te vejo sonhando e isso dá medo
perdido num mundo que não dá pra entrar
você está saindo da minha vida
e parece que vai demorar
se não souber voltar ao menos mande notícia
sê acha que eu sou louco
mas tudo vai se encaixar
tô aproveitando cada segundo
antes que isso aqui vire uma tragédia

qual?

medéia
electra
hipólito
alceste
ou clitemnestra?


Enviando...
(360448 / 244914970) 1%...


é o tempo necessário.

vamos fazer listas:

LIVROS
  • CERTEAU
  • TEATRO PÓS-DRAMÁTICO
  • TCHÉKHOV PLAYS IN PORTUGUÊS
  • EDIÇÃO DE VÍDEO
  • MATISSE - VIDA E OBRA

CAMA MESA E BANHO

  • PRATELEIRAS
  • ABAJUR













A LADY NEEDS TO USE THE COMPUTER,

Nenhum comentário:

Postar um comentário