pesquise no blog

sábado, 25 de outubro de 2008

Sobre ombreiras, polainas e mimeógrafos

PRÓLOGO:
O ANTI-FUNK
PREPARANDO O DIA
É melhor acordar sozinha do que com balde de água. O despertador ainda nem tocou e eu já estou de pé, querendo deitar outra vez. Então eu lavo o rosto. Dizem que a água fria ajuda a acordar. Depois tomo um banho quente, acho que a água quente ajuda a dormir outra vez. Aí ouço a minha mãe gritar.
Vai sair com essa roupa, filha?
Eu nem saí do banho e você já está implicando! Eu saio com a roupa que eu quiser. Sou eu que vou ficar feia, não é você!
Criança quando dá para desrespeitar os pais não quer saber de outra coisa.
Eu não sou criança! E sabe do que mais? Eu estou namorando!
Ai, meu Deus! Qual é o nome do delinqüente?
Da delinqüente, mãe! Da delinqüente!
Você tá namorando uma menina, menina? Ficou louca?
Fiquei. Louquinha. Você não tá vendo? Passei o batom no olho. E o rimel na boca. Sorte que o pó de arroz acabou, porque se não eu cheirava o pote inteiro.
Um dia eu fui contar pra minha filha quando eu conheci o pai dela. Foi quando eu tinha dezesseis anos. Na época, eu peguei uma paixão fulminante. Não pensava em outra coisa, a não ser no seu pai. Eu tinha dezesseis anos e não queria mais nada. Foi quando você veio!
Eu não pedi pra nascer!
Nem eu! Aliás, tudo o que mais pedi nesse mundo foi para não ficar grávida antes da hora. Mas acho que as coisas que a gente não quer acontecem mais facilmente.
Mãe, o chuveiro pifou! Logo hoje que eu marquei um encontro! Como eu vou com o cabelo sujo? Vai ser um mico total!
Espera que eu vou esquentar uma panela d’água pra você!
Eu sempre chego atrasada na escola. O único “A” que eu recebo é de atrasada. Em compensação, tenho o resto do alfabeto quase todo. Só falta receber um “X” e um “Z”.
Quem sabe assim você não toma vergonha e estuda?
Quem sabe assim o chuveiro não funciona e eu consigo tomar pelo menos um banho antes de ir para a escola?
Não sei pra que banho, você se pinta toda com esse monte de maquiagem! Fica suja de novo num instante.
Quem sabe se você não usasse um batom o papai te dava um beijo, hein?!
Olha como você fala! Você tá achando que eu sou sua coleguinha de banco de colégio?
Eu não tô achando o meu brinco. Você viu?
Outro dia eu vi uma menina andando na rua com um brinco só.
Como ele é?
Era um brinco feito de pena, uma pena maior que a orelha dela.
Tá na moda.
Andar com uma pena pendurada na orelha?
Não. Usar um brinco só.
NO ÔNIBUS
Eu odeio esse uniforme da escola! A primeira coisa que eu faço antes de entrar no ônibus é colocar a camisa. E a primeira coisa que eu faço depois de entrar é tirar. Eu tô ficando descabelada!
Tem dias que o ônibus corre tanto que eu fico enjoada! Se eu tento dormir, acordo com a cabeça batendo no vidro.
Ou... Outro dia, uma menina dormiu do meu lado e babou no meu ombro. Escuta uma coisa, minha filha! Dormir tudo bem, mas babar é sacanagem!
Perdão. Eu não queria.
É claro que não queria! Aliás, ai de você se quisesse babar em mim! Olha o meu ombro, parece até que eu tô usando uma ombreira! Poxa, sacanagem!
Pior é quem fala alto logo de manhazinha. Justamente quando tudo o que você mais quer é um dormir mais um pouquinho antes de chegar na escola.
Ah, gente! Se eu tiver que amar alguém que eu nunca amei eu vou fazer o que?! Eu vou amar! Eu não tenho problema nenhum com isso! Amo gato, homem, papagaio, mulher... Menos barata! Eu tenho pavor de barata!
Passageiros, por favor, não entrem em desespero, mas tem uma barata voadora dentro desse ônibus. Aí todo mundo gritou, o ônibus bateu e a barata sumiu.
Motorista, eu quero a minha passagem de volta!
A culpa foi da barata. Ela era voadora! Se não voasse eu poderia ter pisado nela, mas ela voava! Como se mata uma barata voadora?
Eu vou chegar atrasada de novo! Corte as suas asinhas! “A” de atrasada. “A” de asas! “A” de aaaaahhhhhhhhhh!
Não se mexa! Ela pousou nos seus cabelos! Deixa que eu mato! Ué? O que você fez? Ela grudou no seu cabelo!
Não deu tempo do creme de cabelo secar. Aí sempre que eu abraço alguém ou quando alguém encosta no meu cabelo, a pessoa sempre leva um pouco do meu creme. Foi assim com a barata, só que ela ficou presa.
Eu tive que andar 12 quadras até chegar à escola. Fui correndo, suando, mas cheguei a tempo. O meu creme secou, os meus cabelos ao vento! Parecia cena de filme. Eu era a estrela! Só que ao invés de passar por cima do bueiro e ter a saia levantada pelo vento, eu passei despercebida e pisei!
Ai, que nojo! Fezes de cachorro! Merda! Merda! Merda!
“A” de atrasada.
“A” de acidente!
“A” de antes de atravessar...
Olhe para o lado?
Não. Para o chão!
Meu brinco!
NA ESCOLA
(Trocando bilhetes)
Você sabia dessa? O João ama a Teresa!
Pior para ele! Eu descobri que a Teresa ama o Raimundo!
Como assim? O Raimundo me disse ontem que ele morre de amor pela Maria!
Pela Maria?! Aquela que ama o Joaquim?
Ela mesma. Aliás, o Joaquim tá amando a Lili, dessa você sabe, não é?
Ué, mas a Lili viajou!
E daí? Quer dizer que quem viaja para de amar?
Não é isso. Mas acho que ela tem cara de quem vai se apaixonar por alguém com um nome bem feio...
Tipo o seu?
Não. Tipo... J. Pinto...
Fernandes?
É. Pode ser. J. Pinto Fernandes.
(A troca dos bilhetes é interrompida)
Vocês estão colando?
Não.
Não minta para a tia.
Você não é minha tia!
Até porque se eu fosse você seria mais educada, não é, mocinha?
Eu não sou mocinha!
Não?! É o que, então? Mocinho?!
Olha o respeito! Olha o respeito! Pega ele! Pega ele! Tá correndo, descendo a escada, pulando pela janela. Pega ele! Tá escorrendo, fugindo junto com o tempo! Pega, ladrão!
Teve um dia que a professora gritou tanto dentro de sala de aula que eu fiquei com dor de cabeça.
QUEM FOI HIPOTENUSA? ANDEM, RESPONDAM! QUAL O MELHOR SOLO PARA SE PLANTAR A RAIZ QUADRADA? EU NÃO VOU PERGUNTAR DE NOVO! QUAL É A CAPITAL DE BRASÍLIA? FALEM!
Eu saí de sala para ir ao banheiro e fiquei sentada no vaso, esperando a aula terminar. Foi quando ouvi duas meninas na cabine do lado...
De onde veio isso?
Das Lojas Americanas. Não usa tudo, deixa o resto para mim!
Isso é muito bom. Quanto custou?
Não sei... Eu ganhei.
Ganhou de quem? Da sua mãe?
Não. Do meu anjo...
Você tem um anjo?
Anjo Gabriel, conhece? Do sétimo ano.
Aquele menino loiro?
É. Mas eu pedi e ele não vai mais descolorir o cabelo não.
Vocês estão namorando?
A gente vai se casar.
Quando?
Na outra vida.
Ah, entendi. Você me convida?
Se eu te conhecer na minha próxima vida, eu te convido.
Vambora que acabou a aula.
Eu saí do banheiro e estava o maior bafafá. A professora ainda estava gritando com o pessoal da turma, mas não dava pra ouvir nada. A voz dela tinha acabado.
Eu juntei as suas coisas e coloquei tudo dentro da mochila.
Obrigada. Você quer ir comigo a um lugar?
Que lugar?
NA LOJA
Se a gente fosse usar tudo isso que eles vendem, a gente ia sumir...
Se eu fosse comer todos esses sabores de chocolate, eu ia era explodir...
Quem me dera!
Explodir?
Não! Ter dinheiro para comprar essa calcinha...
Você tá sem calcinha?
Claro que não! Mas é que a minha tá toda furada.
É bom que dá uma ventilada...
É bom porque toca cd de música, de foto e ainda DVD.
Meu Deus, essa loja tem tudo! Não falta mais nada. Já foi tudo inventado.
Mentira sua! Eu ainda não vi por aqui um Aspone.
O que é isso?
Não sei. Acabei de inventar.
Pode ser um... Um... Mieróbio?
O que é isso?
É o primo do mimeógrafo. Você conhece?
A minha mãe tinha um desse.
Nossa, mas tá tudo caro! Acho que eu vou levar só a batata.
Isso não é uma batata. Onde já se viu batata que é carne assada?
Dentro desse pacote. Será que cabe em mim?
Em você eu não sei, mas que eu ficaria perfeita nisso aqui, eu tenho certeza!
Compra!
Quanto é?
Só tem nas cores abóbora e fúcsia.
De que cor?
R$ 39,99. Por que não colocam 40,00 reais de uma vez?
Pra que você entregue quarenta e os atendentes te perguntem...
Posso ficar te devendo um centavo?
Não.
Perdão?
Eu disse que não. Eu quero meu um centavo de troco.
Mas, senhora, nós não temos moedas de um centavo.
Tudo bem. Então cobre R$ 39,95 e me dê cinco centavos de troco.
Mas, senhora...
Vocês deviam vender educação! Ou quem sabe, um pote cheio de noção!
Nós temos loção!
Eu disse noção, sua sem noção!
Louças pequenas e grandes, todas elas elegantes!
Você tá louca?
Se estiver rouca, vendemos pastilhas de melagrião!
E se eu estiver muito irritada?
Nós temos esfihas e massas pré-congeladas!
Para dor de cabeça?
Nós temos todas as dez temporadas em DVD. Cada box custa 100,00. No desconto, toda a série sai por R$1000,00. Vai querer?
Eu comprei um bombom que estava na promoção. Foi só quinze centavos. E com um real, eu comprei seis! Seis!
E ainda sobraram dez centavos pra pegar o ônibus.
Eu nem quero ter um celular! Imagina a minha mãe ligando de dez em dez minutos?
E pra quê ter relógio? Além de ser assaltada, eu sempre chego atrasada!
Aquela calcinha eu jamais ia querer. Ela vem com um detalhe dourado. Onde já se viu? Parece enfeite de árvore de natal!
Gente, eles já começaram a vender enfeite para o Natal!
Não, menina! Isso é uma camisola.
Nossa! Achei que era aquela coisa...
Que coisa?
Aquela coisa, sabe?
Acho que sei... Sabe de uma coisa?
O que foi?
Vambora daqui?
Vamos.
EPÍLOGO
Você tá vendo novela?
Não, tô só ouvindo. Eu fico no quarto fazendo as minhas coisas enquanto na sala a família toda tá reunida, vendo a novela.
Tá a maior briga entre as duas. Você ouviu?
Ouvi sim. Outro dia teve uma cena com puxão de cabelo?
Teve. A outra pegou o marido com a outra e ainda deu na cara dela. Você ouviu?
Ouvi. Teve também um dia que explodiu alguma coisa, não teve?
Teve. Foi o apartamento da fulana. A casa caiu, quebrou todos os móveis. Mas ninguém morreu, graças a Deus.
Elas gostam do mesmo cara?
Claro. Igual na vida real.
Não é nada...
É sim. Sabe o André?
Que é que tem o meu amor?
Hoje todo mundo ficou sabendo que ele também gosta da Amanda.
O que?
Sorte que você não foi à aula. Ia ser o maior quebra barraco.
Safado! Eu vou quebrar a cara dele amanhã!
Ih, nem vai precisar. A Amanda já fez isso. Você tinha que ver. Parecia cena de novela. No meio do recreio, gritou com ele e deu o maior tapão na cara dele. Disse que se fosse para ficar dando em cima das duas, que escolhesse outra, porque ela não era mulher pra ser amada pela metade não!
Caramba! Mandou bem.
Por que você não foi à aula?
O chuveiro tirou férias.
E já voltou?
Voltou...
O que é que você tem?
Eu aproveitei e tirei o dia pra pensar.
Pro trabalho de história?
Não. Eu fiquei pensando na vida mesmo. Fiquei tentando entender porque a gente nasce como nasce. Fiquei me perguntando, porque eu sou mulher e não homem?
Quer mesmo que eu responda?
Não, não é isso. É que eu pensei, talvez não fosse tão ruim ser homem. Não ter menstruação, nem filhos, nem...
Os homens também têm filhos. E todo mundo tem pai. Mesmo quem não conhece. Mesmo assim, a gente sempre tem pai. Mas é verdade, homem não fica menstruado...
E nem é tão sensível assim...
Assim como?
Como eu e você.
Mas ser sensível não é ruim. E não são apenas as mulheres que são assim.
Ser sensível às vezes dói.
Por quê?
Porque você vê certas coisas que normalmente não se vê.
Tipo o quê?
Tipo como as pessoas sofrem caladas. Tipo o silêncio da minha mãe que diz tudo sem dizer nada. Tipo o que a gente esconde nos olhos porque não pode dizer. Por ser sensível a gente vê tudo isso... E dói porque não podemos falar.
Eu não sou sensível. Mas gostaria de ser.
Eu que sou, gostaria de não ser.
Imagina olhar para as coisas e poder ver muito mais? Olhar para as flores e saber como descrever seus cheiros. Imagina, poder inventar músicas, poemas e escrever livros inteiros?
Para você ser sensível é bom?
Para mim, as coisas são tudo ao mesmo tempo.
Você ficou sensível de repente?
Não. É verdade. Acho que as coisas são belas e sujas. São graves e agudas. Acho que tudo tem seu lado assim e o assado. Tudo no mundo é meio simples e meio complicado. Depende do que queremos ver, do que precisamos entender. Você já leu esse livro?
Quando eu era criança.
Acho que você devia ler de novo.
Mas eu já li.
Você era criança... Mas e hoje?
Hoje eu encontrei aquele brinco que eu tinha perdido.
E eu acabei dormindo no ônibus e babando no ombro de uma mulher.
Eu comprei bombom. Você quer?
Quero.
Sabe qual é o sabor?
Não... Qual?
Galinha caipira. Acabaram de inventar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário