pesquise no blog

domingo, 31 de janeiro de 2016

Fila

De tudo, menos de desejos
Em fila, tudo, menos o sorvete
Aqui na boca
Menos o seu beijo
Repetidas vezes degustado.

Tolero tudo. Tudo eu aguento
E faço longas listas
De coisas a resolver
De lamentos
Mas nem tudo cabe nisso tudo

Porque os sonhos só se amanhecerem
Velozes. As luzes só se piscarem
E queimarem. Destino atroz.
Nem bem é falta de sorte

É só que fazer lista
Fazer filas é coisa para os muito fracos
Ou muito fortes.
Eu pertenço aos comuns
Que se distraem num mastigar.

Não, não, não
Eu não deveria lhes contar
Mas hoje estou sem cueca
E as gotas de suor
Aleatórias
Por mim escorrem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário