pesquise no blog

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Espera

Sangue já tirado
Remédio na veia
Injeção de insulina rápida
Devo ter fumado uns três cigarros
Tudo para esperar a hora de saber
Se o mal que me causa dor
É culpa minha
Ou do destino.

Não que tivesse culpa
Mas cresci frente às novelas televisivas
A vida minha ficou toda vingativa
Até quando mais velho
Conheci a amiga filosofia.

Culpa morreu
Sobra o cigarro. E a responsabilidade
Minha sobre meus atos.
Sobre o imprevisível e o insondável
Sobre o mundo e sob ele eu aqui

Esperando.
Esperando.
O modo e o cronograma
Do meu fim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário