pesquise no blog

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

A distância

Talvez seja a mesma distância.

Você que me olha
Não imagina que eu
Mexendo nesse celular
Tenha habilidade para
Me preocupar com o mundo.

Eu também, me vendo aqui
Digitando versos para chegar
Onde não chego, também me vejo
Na distância entre o verso e a vida
Também me rendo pela exigência

Mundo.

Súbito, um quilômetro entre nós nasceu
E se falo de mundo, é sempre para dizer o lá
Onde nunca cheguei.

Distante, as palavras que antes aproximavam
Enclausuram. E o vivido vira rima esvaziada
E repetitiva. E quando grito
Vida! Eu estou vivo! Vejam!

Tudo tende a soar mentira
Nessa distância inventada
Para se privar do mundo
E não gastar nossa própria vida.

Tudo tende a ser mentira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário