pesquise no blog

segunda-feira, 6 de junho de 2011

DO ENTRE

EU VOLTEI.
EU SEI, TÔ TE VENDO.
SE IMPORTA?
NÃO. DIZ AI. O QUE FOI AGORA?
NADA NOVO.
E ENTÃO?
E ENTÃO QUE EU TÔ PERDIDO.
NADA NOVO.
É SIM. EU ASSUMI ISSO ONTEM. POXA, BAITA EVOLUÇÃO.
QUE PALAVRAS FEIAS ESSAS QUE VOCÊ TÁ USANDO HOJE.
NÃO TÃO NA MODA?
NÃO COMBINAM COM A SUA COR.
É A MESMA DESDE SEMPRE.
NÃO. ESTÁ MAIS AMARELA. A SUA PELE.
É QUE EU TÔ DOENTE.
NÃO SE DESCULPE.
MAS É REAL.
AINDA QUE NÃO FOSSE. DEIXE ESTAR.
POR QUE DO NADA VOCÊ DEIXA A SUA FALA ASSIM, TÃO INACESSÍVEL?
MAIS INACESSÍVEL DO QUE ESSA PALAVRA INACESSÍVEL EU NÃO CONHEÇO.
NÃO TEM GRAÇA.
QUER COMEÇAR DE NOVO?
NÃO TERÍAMOS JEITO, AINDA ASSIM.
OLHA PRA MIM.
ESTOU TE VENDO. E TU?
EU VOU BEM. E VOCÊ?
TAMBÉM. POR QUE A GENTE AINDA SE FREQUENTA?
EU NÃO SOU BAR.
MAS BEM QUE PODIA SER.
VOCÊ É MEIO BOTECO MESMO.
DIRIA O MESMO, NÃO FOSSE.
COMPLETA.
NÃO É PRA COMPLETAR.
ERA PRA EU TER TE CORTADO?
ERA PRA EU DESISTIR DE RIMAR CERTAS COISAS
QUE NÃO EXISTEM PRA RIMAR?…
EXATO.
SABE QUE A GENTE JÁ TEVE UM NOME?
COMO?
A GENTE UM DIA TEVE UM NOME.
VOCÊ DIZ… NÃO ENTENDO.
EU DISSE QUE NÓS DOIS DESSE JEITO JÁ FOMOS RECONHECIDOS POR UM NOME.
QUEM NOMEOU?
UM AUTOR.
SEMPRE AUTORES. AUTORES DEVERIAM MORRER.
ESTÃO TODOS MORTOS.
E VOCÊ?
POR OUTRO MOTIVO.
E EU?
PELO MESMO MOTIVO.
DOS AUTORES?
PELO MESMO MOTIVO QUE O TEU.
FALAVA DOS AUTORES. QUER DIZER, DO NOSSO NOME
QUE UM DIA TIVEMOS… SABE QUAL É?
NÃO. VOCÊ QUEM TROUXE ISSO ATÉ NÓS.
SUGERE UM NOME?
PARA EU E VOCÊ?
NÃO. PARA OS DOIS.
NÃO SUGIRO NADA. NADA ME VÊM COMO POSSIBILIDADE.
ORA, EXISTE EM NÓS ALGUMA COISA A FERMENTAR JUNTO AO TEMPO.
NOSSA…
QUE FOI AGORA?
INACESSÍVEL…
E NO ENTANTO VOCÊ VEIO JUNTO RENTE PRECISO EM DIREÇÃO AO SENTIDO.
DE NOVO.
NÃO SE ESPANTE OUTRA VEZ. NÓS SOMOS EXATAMENTE ISSO.
NÃO SABERIA DAR NOME.
JÁ NOS DERAM.
NÃO SABERIA DEDUZÍ-LO.
NOSSA.
POR QUE NOS ESPANTAMOS?
É NOSSO JOGO. NOSSA FUNÇÃO. ISSO NOS FAZ
MAIS PERTOS?
MAIS LONGES. E NISSO MAIS PERTOS.
VOCÊ ME CONFUNDE.
TUDO BEM PRA TI?
TUDO. FOI UMA AFIRMAÇÃO.
EU SEI DIFERENCIAR AS COISAS.
MAS NÃO ME DISSE AINDA O TAL NOME.
O NOSSO?
ERA RODEIO?
ORA, NÃO. RODEIO É UMA PALAVRA TÃO FEIA, NÃO?
APRENDI COM VOCÊ.
EU SEI. TEM BELEZA ONDE TAMBÉM NÃO TEM.
SEGUE.
ONDE ESTÁVAMOS?
ESTAMOS PERDENDO O POVO, SENTE?
EU PODERIA SEGUIR ETERNO SE TIVESSE SÓ VOCÊ AO MEU LADO.
ISSO FOI LINDO.
ISSO É LINDO.
ISSO PODERIA SER NOSSO NOME.
ISSO JÁ DEVE SER DE OUTRO ALGUÉM.
DE OUTREM.
EU GOSTO.
DESSE NOME?
DESSA PALAVRA.
ESTÁVAMOS FALANDO DOS NOMES.
MAS AGORA FALAMOS SÓ DE PALAVRAS.
SÓ QUE PALAVRAS FAZEM NOMES.
E NOMES ESVAZIAM CADA UMA DELAS.
VOCÊ TÁ PROFUNDO.
TÔ QUERENDO AMAR.
DÁ NISSO.
NISSO QUE VOCÊ JÁ SABE ONDE DARÁ.
NÃO VEM COM ESSA RIMA.
ELA VEIO SEM PEDIR AUTORIZAÇÃO.
O QUE VOCÊ ESTÁ OUVINDO?
SEUS OLHOS?
TÁ RUIM HOJE.
A PELE AMARELECE.
AMARELECER É UM VERBO TRISTE.
É FEITO PARA OS DOENTES.
TUDO BEM. COMBINA COM A GENTE.
É ESSE O NOSSO NOME?
EU ME PERCO EM VOCÊ.
NÃO!
EU ME PERCO. PRECISAVA TE DIZER.
O PESSOAL TÁ DESISTINDO.
DEIXE QUE PARTAM. ASSIM EU FICO MAIS À VONTADE.
QUE MANIA QUE TE DEU?
É SÓ VOCÊ.
AGORA SEREMOS HISTÓRIA DE AMOR.
FICÇÃO.
APENAS ISSO?
NÃO TÁ BOM?
JÁ ROUBAMOS MUITAS LINHAS DO MUNDO.
MEU CORPO DÓI.
VOCÊ COMEU DEMAIS.
E NADA NO ENTANTO FOI VOCÊ.
FIQUE QUIETO.
O QUE FOI?
VOCÊ ESCUTA?
NÃO.
VOCÊ OUVE?
DISSE QUE NÃO.
TUDO BEM. ERA SÓ O SILÊNCIO.
QUANTOS NOMES PODERÍAMOS TER SIDO.
QUANTOS NOMES PODERÍAMOS TER MORRIDO, SE TIVÉSSEMOS SIDO
TODOS ELES.
SIM. NÃO TODOS, TALVEZ, MAS ALGUNS. COMO EM CAPÍTULOS.
MINHA VIDA É TIRO DIRETO. NÃO TEM PAUSE.
MAS TERÁ SEMPRE MEIO.
MEIO VOCÊ DIZ PAUSA?
NÃO. MEIO COMO QUEM DIZ QUE ENTRE UMA COISA E OUTRA É PRECISO OUTRA.
OUVE AGORA?
FORAM-SE MUITAS LINHAS JÁ DESDE QUANDO COMEÇAMOS.
E AINDA HÁ TANTO A FAZER.
QUE AGONIA.
PALAVRA BONITA.
ENQUANTO HOUVER MINHA PRESENÇA
E A MINHA
E A SUA, ENQUANTO EXISTIRMOS, FALAREMOS DESTA AGONIA
FALAREMOS. PONTO. SIMPLES ASSIM. TERRÍVEL ASSIM.
VOCÊ CONFIA EM MIM?
POR QUÊ?
NÃO ME DEVOLVA UMA PERGUNTA.
CONFIARIA… CONFIO. CLARO QUE CONFIO.
EU QUERIA PODER NOS DAR UM NOME.
NÃO DEVERIA TER DITO ASSIM.
OI?
SE ME PERGUNTOU CONFIANÇA, DEVERIA TER IDO DIRETO ATÉ O FIM.
SEM PAUSA?
SEM MEIO. DEVERIA TER DITO O NOME NOSSO QUE AINDA NÃO TEMOS.
MAS JÁ SE FORAM TANTOS.
QUAL VOCÊ MAIS GOSTOU?
EU NÃO ME LEMBRO.
EU TAMBÉM NÃO.
TALVEZ DEVÊSSEMOS DESISTIR.
NÃO É UM BOM NOME PARA A GENTE.
TALVEZ NÃO.
TALVEZ SIM.
POR QUE UM NOME?
PARA QUE A GENTE NÃO FIQUE NUNCA NO MEIO
PÁRA DE IMPLICAR COM O MEIO!
NÃO IMPLICO. É REAL. É O QUE EU SINTO.
E O QUÊ MAIS?
E O QUÊ MAIS O QUÊ?
QUE VOCÊ SENTE?
EU SINTO VOCÊ. AQUI. FRENTE A MIM. EU GOSTO DE TI.
EU GOSTO DE TI TAMBÉM. EU GOSTO QUANDO VOCÊ FALA
TI?
É. EU GOSTO. ACHO DIFERENTE.
MAS NÃO PODE USAR TODO DIA.
NÃO PODE.
EU SEI.
EU TAMBÉM.
A GENTE USA SÓ DE VEZ EM QUANDO.
É PALAVRA DELICADA. QUE PODE QUEBRAR SE USADA EM EXCESSO.
VOCÊ É A COISA MAIS FOFA QUE JÁ ME ACONTECEU.
EU POSSO REVIDAR?
CLARO.
VOCÊ É A COISA MAIS FOFA QUE JÁ ME ACONTECEU.
MAS EU NÃO DISSE ISSO PARA QUE ME DESSE ALGO EM TROCA.
E NEM EU DISSE SÓ PORQUE VOCÊ JÁ HAVIA ME DADO.
EU TE ACREDITO.
EU EM TI TAMBÉM VOU TRANQUILO.
POR HOJE SEM NOME?
SIM, FORAM-SE MUITAS LINHAS.
NINGUÉM CHEGOU ATÉ NÓS.
POR ISSO TALVEZ PERSISTIREMOS SEM LÍNGUA, SEM PÁTRIA
MAS NÃO SEM RAZÃO.
VOCÊ OUVE?
O QUÊ?
ALGUM AUTOR À ESPREITA…. TENTANDO EM NÓS FAZER COMUNHÃO?
SIM… EU OUÇO. ELE HÁ DE MORRER
ENQUANTO NÓS…
SEREMOS NO MÁXIMO, COISA OUTRA.
MEIO ESTRANHO NÃO?
É O QUE É.

Nenhum comentário:

Postar um comentário