pesquise no blog

quarta-feira, 14 de julho de 2010

T E N TAÇÃO

não consigo partir, disse o menino olhando a tela arranhada
não consigo, não posso, nem quero, refez a rima
no olhar, as ondas iam e vinham
e do outro lado
ela não percebia nada

sua voz em bytes
sua pele em pixels
nosso amor renderizado
nosso amor em zip
em mov em jpeg

não consigo ficar, disse a menina olhando para ele de dentro da tela já embaçada
não consigo, não posso, nem quero ser alvo da mentira
no olhar, em fade foi sumindo
primeiro a pupila
depois a retina
depois sumiu o resto
o rosto
sumiram-se todas as rimas e ele
persistente
gritou!

não consigo partir, não consigo o amor

a conexão não tinha caído
a velocidade era a maior desde então
era só que ela lá e ele aqui
não conseguiam ser de fato união

e cansaram da vitória dos que estão longe e se amam
cansaram dos telefonemas, de gozar junto, mas à distância
e cansaram de imaginar
tinham a cabeça pesada
os sonhos confusos
a realidade inexata

não viviam de fato a vida tal qual ela era.

a vida tal qual ela era, não era algo que se devesse viver:

ela saiu do quarto e desceu as escadas
ele chorou copiosamente e sentou-se à cama

e então veio o tempo
e ela chegou ao térreo
e ele parou de chorar

prontos, para começar tudo de novo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário