pesquise no blog

quarta-feira, 20 de abril de 2016

Pedra Sob Ponte

Queria te contar, filho
Que nem tudo nessa cidade
É apenas árvore e decoração.
Existem as pedras das montanhas
E também as pedras postas
Por opção.

Sabe ali?
Ali embaixo.
A ponte, o viaduto,
Logo ali
Deitado.

Isso, mas não o mendigo
Não o vagabundo
Não falo do trapo
Falo da pedra. Da pedra no cimento
Devidamente enterrada.

Nem tudo nessa cidade é coisa que nela brota. Muito aqui é coisa imposta, posta e reposta. É dor de outra guerra que não cessa de mijar novamente toda a praça.

Aquela pedra
Ao lado da cabeça do bandido
Aquela pedra ocupa mais espaço
Que um crânio humano, a princípio.

Quero te abandonar.
Quero me abandonar de você.

Nenhum comentário:

Postar um comentário