pesquise no blog

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Pertencer

Ao vento
Sob alguma coisa
Ou alguém
A quem?
Pertencer
Como quem tem
Mais no outro
Que em si
A quem eu posso?
Vincular-me assim?

Lá fora a cidade arde
Dentro algum silêncio
Era cedo e já é tarde
O que esconde?
A fé, quando vacila,
Mostra o quê?

Porque eu não sei andar com o que
Aconteceu. Não sei dessa outra coisa
Que não tem como eu saber.

Arde lá fora e aqui dentro?
Foi tanta mentira.
Tanta. Que a alma agora
Agradece, apesar de ressequida.

Acordar junto ao sol
E sorrir frente ao espelho.
O que é isso que eu sinto
Que eu já não sabia mais
Sentir?

Eu pertenço ao jogo
De estar vivo. Caindo rápido
E sorrindo, nevrálgico
Eu estou aqui.
Eu estou cheio e aqui
Repleto de carinho. Surrado
De amor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário