pesquise no blog

terça-feira, 8 de setembro de 2015

Desarranjo

Abaixe a cabeça
Não, tempestade
Mesa e este senhor me olhando
Tempestade de manhã cedo
Camisa verde
Troca de lugar, Clara
Os ex namorados
Amam jogar
Para sempre
Sua camisa listrada
Vão te assaltar
Entre agora
Porque há tortura pedindo por corpo novo
Corpo cru e puro. Só se houver
Abertura
Ele olha para dentro da caixa
Ela fala ao telefone, mas tem a mão
Sobre a boca
Ela esconde a voz
Ele tira a roupa?
Tira
Tirou
Ele está nu
Ela está escrevendo alguma coisa
Enquanto alguém morre sem que eu saiba
Crianças não podem
Não devem ficar
Sozinhas
Em casa
Mesmo com amor mesmo assim
Nunca farão que o ódio seja faraó
Destemido a gente segue
Sem
Deus
Que é um pouco da minha vida
É assim mesmo
Tempo e dinheiro para pagar
As despesas de um amigo
Que mora na cidade da hora
Ainda
Ainda

Nenhum comentário:

Postar um comentário