pesquise no blog

terça-feira, 8 de março de 2016

Agulha

Fino
Chega um verso
Sinuoso
Não se apresenta
Mudo
Assim eu fico
Ereto
O verso me agulha
É impacienta.

O que ele procura assim
Tão dentro de mim?

Vasculha
Corpo e medos anteriores
Dilacera
A paz que a pele amortecia
Destrói
Minha moradia
É isso o que me resta?

Vem sempre uma palavra nua
Me desnortear a uma hora dessas.

Inferno
Invento
Inverno
Intenso
Intento
Isto

Aquilo

Perdi.

Nenhum comentário:

Postar um comentário